quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Escola de Marília, SP, incentiva leitura com a contação de história


 

Pequenos baseiam novas ideias nos clássicos infantis.
Adolescentes leiam os livros e recontam tudo em sala de aula.









Em Marília (SP), alguns projetos trabalham o incentivo a leitura por meio de contação de histórias, com crianças de 3 anos de idad. Algumas escolas criaram uma disciplina própria para a leitura de livros, ideia que tem mostrado resultado.

As crianças ainda estão aprendendo a ler e escrever, mas já têm imaginação suficiente para contar as próprias histórias. Laura Tavares, de 5 anos, conta a história do lobo: “ele subiu na chaminé e tropeçou e caiu”. Pedro de Freitas também entra no clima. “Quando eles caíram da chaminé, eles caíram em um caldeirão de água fervendo e só depois que o lobo saiu correndo que eles comemoraram”. 

A atividade começa assim mesmo, baseada nos clássicos infantis, como Os Três Porquinhos. Mas depois os estudantes são incentivados a mudar e criar uma nova história.

"É para estimular o lado crítico da criança. Podendo interagir com a história a história fica mais dinâmica e eles começam a colocar o mundinho deles, o cotidiano deles, o dia a dia inserido na história”, conta Lucirene Lanzi, professora de literatura.
Já os mais velhos precisam contar para o colega exatamente o que leram. Eles escolhem o que vão levar pra casa e depois de 15 dias sentam na "cadeira do contador" para dividir o que aprenderam. Lucas acury conta: “eu acho que já li uns 30 livros no ano inteiro".
Crianças escutam histórias e são incentivadas a criar em escola de Marília, SP (Foto: Reprodução/TV Tem)Crianças escutam histórias e são incentivadas a criar em escola de Marília, SP (Foto: Reprodução/TV Tem)
"Quando você aprende a gostar de ler, você carrega para sempre. Eu digo pra eles assim: tem que ter a descoberta. Quando você descobriu, você nunca mais consegue deixar de ler”, conta Verinha Carvalho, professora. 
Para Isabela Fernandes, 14 anos, o livro faz viajar para outro mundo. “Você sai da onde está, não importa se está em um lugar lotado ou se tem muito barulho. Se você estiver concentrado no livro, você vai para outro lugar, você viaja."


Os adolescentes ainda estão aprendendo a gostar de ler. Por isso, nada de literatura muito complicada, os livros têm que ser próprios para a idade deles e conter um pouco de romance, suspense e muita ação. Com uma linguagem simples fica mais fácil prender a atenção da garotada.

Fonte:http://g1.globo.com
Postar um comentário