segunda-feira, 3 de junho de 2013

Fraldas limpas


Reportagem de Afonso Capelas Jr.
Fraldas descartáveis são a maior invenção das últimas décadas para casais modernos, sempre atarefados e sem muito tempo para ficar às voltas com a lavagem das tradicionais de pano. Mas são também um problemão para o meio ambiente, já que demoram a se decompor e entopem os aterros sanitários com seu material composto basicamente de plástico. Pensando nisso, cientistas do Centro de Pesquisa Técnico VTT, com sede na distante Finlândia, conseguiram produzirfraldas descartáveis bastante eficientes utilizando apenas papelão recicladocomo matéria-prima.
Com o papelão reciclado, o pessoal do centro de pesquisas finlandês desenvolveu um novo tipo de “tecido não tecido”, mais conhecido no Brasil pela sigla TNT. Acontece que o TNT tradicional geralmente é produzido com poliéster ou polipropileno.

O material resultante do papelão é bastante macio e absorvente, com textura muito semelhante a do tecido de algodão. Assim, também é possível fabricar papéis higiênicos, panos de limpeza e guardanapos.

Além de biodegradáveis, a outra grande vantagem das fraldas descartáveis produzidas pelo VTT é o aproveitamento total do papelão descartado de embalagens e outros produtos. Vale lembrar que a Finlândia é um dos maiores fabricantes de papel e papelão e reutilizar esse tipo de material por lá é uma ótima solução ambiental.

O melhor é que os custos de produção do TNT de papelão chegam a ser 20% mais baratos do que os demais. Por isso, o professor pesquisador do VTT, Ali Harlin, vê na tecnologia desenvolvida pelo centro de pesquisas a saída para substituir o material plástico nas fraldas. “O novo processo significa que os TNTs de fontes biológicas são agora mais competitivos no preço, em comparação com produtos à base de plástico. Também são mais seguros e ambientalmente amigáveis”.

Leia também

Fraldas e absorventes descartáveis sujos podem ser reciclados

Imagem – CarbonNYC/Flickr/Creative Commons


Fonte: planetasustentavel.abril.com.br
Postar um comentário