quinta-feira, 27 de junho de 2013

Concurso de redação levará alunos a Brasília para ter dia de Senador


Um aluno paulista será selecionado para representar o Estado em disputa à nível nacional

Já pensou em ser um Senador? Elaborar leis que influenciarão o curso do Brasil? Com o Prêmio Jovem Senador 2013, alunos do Ensino Médio da rede estadual de todo o País terão a oportunidade de passar três dias em Brasília vivenciando a rotina de trabalho dos Senadores da República.
Para estar entre os  alunos que visitarão a capital do Brasil é preciso vencer o concurso de redação do prêmio. Neste ano, o tema proposto é “Buscar voz para ter vez: cidadania, democracia e participação”. Podem participar alunos, com até 19 anos, matriculados no Ensino Médio de escolas estaduais.
O autor da melhor redação no Estado de São Paulo ganha a viagem, um notebook, certificado de classificação e medalha, entre outros prêmios.
Estão na disputa outros 26 Estados, além do Distrito Federal. Cada escola selecionará sua redação e enviará à Secretaria de Educação, de onde sairá o grande vencedor paulista para representar o Estado em Brasília.
Quero participar! Como faço?
As inscrições já estão disponíveis! Ficou interessado? Se você está dentro do perfil exigido para participação, procure informações junto a secretaria de sua escola e saiba quando a redação do Prêmio Jovem Senador 2013 será aplicada. Estude sobre o tema e boa sorte!
Fonte Secretaria de Educação do Estado de São Paulo 

Site Gratuito tem os Melhores Cursos do Mundo.

Veduca oferece videoaulas de ensino superior adaptadas à realidade brasileira

Assistir a uma aula de uma universidade top sem nunca ter chegado perto dela é possível desde 2003, quando o MIT disponibilizou seus primeiros cursos pela internet . Para 98% dos brasileiros, no entanto, o sonho de fazer cursos de instituições renomadas como Harvard e Stanford, só pode ser alcançado a partir de março do ano passado, quando foi lançado o portal Veduca, que oferece videoaulas de diversas instituições do mundo em português. 

Série startups de educação: 

A ideia de traduzir lições, amadurecida em 2011 pelo engenheiro Carlos Souza, 32 anos, durante um ano sabático, foi um sucesso. Quatorze meses depois do lançamento, o Veduca reúne mais de 5.500 aulas, que já foram vistas por mais de 170 milhões de pessoas pelo Youtube. “Observando o movimento mundial de Open Course Ware, me dei conta que ele não tinha chegado ao Brasil por dois motivos: só 2% da população brasileira fala inglês fluentemente e as grandes universidades do País não haviam aberto seus conteúdos”, conta Souza, que deixou um emprego em uma multinacional para se tornar empreendedor.
Reprodução
Site reúne 5.500 videoaulas de universidades
O Veduca, segunda startup retratada no série do iG sobre novos negócios em educação , começou oferecendo vídeos de aulas de instituições estrangeiras, como Harvard, Stanford, Yale, e MIT, com legendas e de graça. No início deste mês, já chegou ao seu segundo objetivo, o de lançar cursos de universidades brasileiras. Osprimeiros MOOCs do País (cursos de nível superior aberto, gratuitos e para grandes público, na sigla em inglês) são ministrados pela USP e veiculados no Veduca. Videoaulas da Unesp e da Unicamp também já estão disponíveis.
Para garantir a rentabilidade do portal, que recebeu aporte de R$ 1,5 milhão de quatro investidores, a empresa aposta em cobrar pela certificação dos cursos. Ou seja, as aulas sempre serão de graça, mas quem quiser receber certificados terá de pagar. O Veduca está negociando parcerias com instituições privadas que farão a intermediação dessas emissões. “O aluno vai assistir às aulas pela internet, mas poderá fazer uma prova posterior e receber um certificado validado pelo MEC”, diz Souza.
O empresário, que tem mais três sócios, diz que o portal não pretende competir com as universidades, mas tem como objetivo democratizar a educação de alta qualidade. Para isso, aposta em fazer parcerias com os melhores produtores de conteúdo. “Somos uma empresa de tecnologia voltada para educação, muito mais do que uma empresa de conteúdo. Acreditamos em fazer curadoria forte e queremos ter a melhor plataforma de aprendizado do mundo”, diz.
Somos uma empresa de tecnologia voltada para educação, muito mais do que uma empresa de conteúdo. Acreditamos em fazer curadoria forte e queremos ter a melhor plataforma de aprendizado do mundo.
Perseguindo esse caminho, o Veduca lançou este ano três funcionalidades tecnológicas que melhoram a experiência de quem quer aprender pelos vídeos: uma ferramenta que proporciona a interação entre estudantes do portal, outra de quiz e testes e uma que é inédita, que permite interação entre o aluno e a videoaula. “É como um caderno vivo, no qual o estudante poderá fazer anotações no vídeo. Depois de assitir à toda aula, ele poderá clicar na anotação e o vídeo começa no momento exato em que o professor está falando de determinado assunto”, explica o fundador do site.
Realidade brasileira 

Além da língua, o Veduca também se diferencia de outras plataformas de cursos online que oferecem aulas de universidades, como o Coursera e o Edx (plataforma online do MIT e Harvard), por focar em formações adaptadas à realidade e necessidades do Brasil. Segundo Souza, mesmo as aulas de universidades americanas não são as mesmas oferecidas nesses sites. “Eles têm cursos muito avançados, voltados para o contexto dos Estados Unidos, como aprendizagem de máquina, inteligência artificial. Quem está pronto para essas aulas no Brasil já fala inglês e pode fazer lá”, diz. O objetivo do Veduca é oferecer aulas dos melhores professores, mas orientado à realidade do País.

Fonte: IG


quarta-feira, 26 de junho de 2013

Sebrae oferece 30 cursos online gratuitos

Texto publicado no Sebrae Nacional

curso online
curso online
Conteúdos vão de planejamento financeiro a gestão de pessoas
A fim de amparar empresários com informações e conteúdos teóricos sobre a condução de um novo negócio, o Sebrae oferece gratuitamente 30 cursos online de formação online.
Os interessados em realizar as aulas necessitam apenas de acesso à internet banda larga e e-mail para confirmação da inscrição. Cada curso é acompanhado por tutores com experiência na área, que tiram dúvidas dos alunos e orientam discussões sobre os temas estudados. Os conteúdos vão desde planejamento financeiro até gestão de pessoas.
O aluno deve ficar atento à disponibilidade de vaga para o curso desejado. Ele pode efetivar uma única matrícula e deverá concluir o conteúdo com 100% de aproveitamento antes de realizar um novo curso.
Veja a lista de cursos ofertados:
AC – Atendimento ao Cliente
AE – Aprender a Empreender
APF – Análise e Planejamento Financeiro
BPSA – Boas práticas nos serviços de alimentação: gestão da segurança
CG – Compras Governamentais
CVME – Condições de Vendas para o Mercado Externo
CVMM – Como Vender Mais e Melhor
D-Olho na Qualidade: 5Ss para os pequenos negócios
EI – Empreendedor Individual
FPV – Formação do Preço de Venda
GCC – Gestão de Cooperativas de Crédito
GEI – Gestão Empresarial Integrada
GI – Gestão da Inovação
GQVE – Gestão da Qualidade – Visão Estratégica
IPGN – Iniciando um Pequeno Grande Negócio
IPN – Internet para Pequenos Negócios
MEG – Modelo de Excelência em Gestão
Programa Varejo Fácil – Técnicas de Vendas
Programa Varejo Fácil – Gestão do Visual de Loja
Programa Varejo Fácil – Gestão de Pessoas
Programa Varejo Fácil – Formação do Preço de Venda
Programa Varejo Fácil – Controles Financeiros
Programa Varejo Fácil – Atendimento ao Cliente
PROEX – Procedimentos para Exportação
PLAEX – Planejamento para Exportar
SEI – Controlar Meu Dinheiro
SEI – Planejar
SEI – Empreender
SEI – Comprar
SEI – Unir Forças para Melhorar
SEI – Vender
Para realizar um dos cursos e obter mais informações, basta acessar o site do EaD Sebrae: www.ead.sebrae.com.br.
Fonte: Catraca Livre


Cidade da Espanha devolve cocô de cachorro esquecido na rua via correio. Já pensou se esta moda pega aqui?

#cacaexpress: o dono que não limpou as fezes do animal recebe uma encomenda nada agradável

Brunete, uma pequena cidade próxima a Madri, na Espanha, quer acabar de vez com os cocôs de cachorros nas ruas. Para isso, nada melhor do que devolver o problema para o seu causador.
A prefeitura da cidade organizou voluntários que descobriam, de maneira amigável, o nome do dono que não limpou as fezes do seu animal. Depois, pesquisava o endereço do responsável e enviava o que eles haviam esquecido nas ruas via correspondência do correio. Sim, o cocô do cachorro era enviado em caixa para o endereço do dono.
Enfim, a propriedade perdida retornava para o verdadeiro responsável. E o plano deu certo. O problema diminuiu em 70% na cidade  e o programa teve custo próximo do zero, segundo a prefeitura. Antes, o poder público multava as pessoas, o que não vinha apresentando melhoras para a cidade.
Assista o divertido vídeo da campanha.


Fonte: Catraca Livre

Inscrições abertas para curso gratuito de “Filosofia e História nos Países Baixos” na USP

Sob coordenação da professora Marilena Chaui, aulas farão uma introdução a contextos sociais, artísticos, culturais e econômicos

Reprodução
Reprodução
O curso é voltado para estudantes de graduação e pós-graduação, mas é aberto ao público em geral. Na foto, o filósofo Bento Espinosa.
FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas) da USPabre, entre os dias 1 e 13 de agosto,inscrições para o curso gratuito sobre “Filosofia e História nos Países Baixos“. Coordenado pela professora Marilena Chaui, o projeto terá aulas ministradas de 15 de agosto a 10 de outubro, sempre às quintas-feiras, das 14h às 18h.
Como assunto principal, os aspectos sociais, econômicos, culturais, artísticos e científicos que compuseram o contexto da República Neerlandesa durante os séculos XVI e XVII.  Também será abordada a constituição e o perfil da comunidade judaica de Amsterdam e para o pensamento político e científico do filósofo Bento Espinosa.
Fonte: Catraca Livre

Site gratuito ensina inglês com conteúdo sobre futebol

Página Premier Skills tem entrevistas, exercícios, curiosidades e outros conteúdos sobre o esporte bretão

reprodução
reprodução
Site tem um glossário de jargões ingleses sobre o futebol
Com a aproximação dos grandes eventos esportivos no Brasil, novas oportunidades de negócios e empregos vão surgir, principalmente para quem fala inglês. Pelo site Premier Skills, ligado ao British Council, é possível aperfeiçoar-se no idioma, com um diferencial: a página é toda focada em futebol.
Entrevistas com jogadores da Liga Inglesa, notícias sobre o esporte e exercícios a respeito do tema ajudam o usuário do Premier Skills a se familiarizarem com a língua.
O acesso ao conteúdo é gratuito. Confira o site Premier Skills.
Fonte: Catraca Livre


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Encontre oportunidades para trabalhar como freelancer Internacional

Sites anunciam vagas para fotógrafos, redatores, designers, webdesigners e muitos outros profissionais

Getty Images
Getty Images
Muitas oportunidades oferecidas para freelancer dão ao profissional a chance de trabalhar de casa
Trabalhar como freelancerpode ser uma ótima opção para quem quer ter uma agenda flexível e não se dá bem com a formalidade do mundo corporativo. No entanto, nem sempre é fácil encontrar interessados em contratar os serviços oferecidos. Por isso, separamos alguns sites em que empresas anunciam vagas para “frilas”.
Confira:
Trampos: Este site traz diariamente diversas oportunidades para freelancers, sobretudo nas áreas de design, webdesign, publicidade e criação de conteúdo para blogs e outros veículos virtuais. O Trampos também divulga vagas efetivas e de estágio.
OpenJobs: Jornalistas, webdesigners, programadores e profissionais de qualquer área podem oferecer seus serviços pelo site.
Prolancer: Neste site, todo dia aparecem novas oportunidades de “frila” para fotógrafos, redatores, desenvolvedores web, designer, entre outros profissionais.
Escola Freelancer: Além de anunciar vagas como os demais, este site conta também com dicas, artigos e outros conteúdos que ajudam profissionais a trabalharem como freelancer.
Freela.com.br: O site mostra oportunidades em muitas áreas, como ilustração, jornalismo, programação, fotografia, edição de foto e vídeo, produção musical, entre outras.
Fotoemprego: Este site anuncia exclusivamente vagas para fotógrafos e outros profissionais deste ramo. São oportunidades para fotografar eventos, festas, moda, e outros tipos de trabalho.
Vagas: Parceiro do Catraca Livre, além de anunciar oportunidades de emprego, estágio e trainee, o site também tem espaço para freelancers.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Só pra entender um pouco do quanto pagamos de impostos, e quanto recebemos de volta em benesses.

1) Os dez países mais e os dez menos!

 
Os 10 países onde MENOS se trabalhou em um ano para pagar impostos em 2011.

1. Maldivas: 0 horas
2. Emirados Árabes Unidos: 12 horas
3. Bahrein: 36 horas
4. Qatar: 36 horas
5. Bahamas: 58 horas
6. Luxemburgo: 59 horas
7. Omã: 62 horas
8. Suíça: 63 horas
9. Irlanda: 76 horas
10.Seicheles: 76 horas


Os 10 países onde MAIS se trabalhou em um ano para pagar impostos em 2011:

1
. Brasil: 2.600 horas ( é mais que o dobro do 2º colocado! )
2. Bolívia: 1.080 horas
3. Vietnã: 941 horas
4. Nigéria: 938 horas
5. Venezuela: 864 horas
6. Bielorrússia: 798 horas
7. Chade: 732 horas
8. Mauritânia: 696 horas
9. Senegal: 666 horas
10.Ucrânia: 657 horas

Fonte: Banco Mundial (Doing Business 2011)
"O Brasil tem a maior carga tributária do mundo para pagar a maior corrupção do mundo".
VAMOS REPASSAR...

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Maiores de 65 anos têm gratuidade na EMTU

Para ter direito ao benefício é necessário retirar o cartão BOM Sênior; saiba como

Cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos têm direito ao transporte gratuito nas linhas intermunicipais da Região Metropolitana de São Paulo. Para ter acesso ao benefício, basta providenciar o cartão BOM Sênior (Bilhete Ônibus Metropolitano).

A aquisição do cartão é feita em uma das Lojas do Consórcio Metropolitano de Transportes (CMT). O requerente deve apresentar CPF (original), RG (original) e comprovante de residência recente no período máximo de três meses (original).

Com o cartão BOM Sênior, o usuário realizará o embarque pela porta dianteira do ônibus e ao aproximar o cartão do validador passará pela catraca e desembarcará pela porta traseira do veículo. Dessa forma, o passageiro tem mais opções de lugares no ônibus.

Fonte: Do Portal do Governo do Estado

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Non dvcor, dvco

O aumento de R$ 0,20 e a pergunta - você quer conduzir ou ser conduzido?

Se você vive em São Paulo, ou em qualquer lugar do mundo nessas alturas, deve estar sabendo dos conflitos que têm acontecido na cidade. Tudo começou, com o anúncio do aumento da passagem de ônibus, metrô e trem, de R$ 3,00, para R$ 3,20. Mas, ao contrário do que muita gente tem dito, toda essa revolução criada e organizada pelos habitantes da cidade, não tem nada a ver com R$ 0,20 centavos – esse aumento (ainda injustificável, já que a população não terá nenhum benefício que justificaria esse aumento) é apenas o estopim de um povo que está cansado de sofrer abusos de um governo corrupto que não está nem aí para as necessidades e direitos das pessoas – povo esse, que paga o salário de todos os políticos. Inclusive o do governador Geraldo Alckmin e do prefeito Fernando Haddad que, nesse momento de crise, estão em Paris, e se referem ao povo – aquele mesmo que deu o voto de confiança neles – como “vândalos” que precisam ser punidos.
As opiniões sobre os protestos que vem acometendo a cidade de SP, dividem opiniões: os que ainda estão cegos pelas informações mentirosas da mídia, e aqueles que só pensam em seu próprio umbigo, se dizem contra as manifestações. Aqueles que podem pagar, e que não serão afetados pelos aumentos de preço, reclamam de dentro de seus carros de playboy que os manifestantes estão “atrapalhando o trânsito”, dentre outras. Acontece que esse aumento apenas reafirma o fato de que nós, brasileiros, pagamos preços abusivos em absolutamente tudo (o Brasil é um dos países que tem as maiores cargas tributárias do mundo). Por exemplo, quando você compra uma TV, 50% do valor é de impostos. Quando o assunto é luz elétrica, a porcentagem sobre para 70%. Pra gasolina, não é muito diferente: 60% do preço que você paga para colocar combustível no seu carro, é de imposto. Ou seja, na média, sempre que você comprar alguma coisa, 50% do valor é de imposto, o que significa que, se não fosse esse dinheiro repassado ao governo, você poderia comprar o dobro das coisas, ou poderia trabalhar metade do tempo. O vídeo abaixo explica bem esse cenário:


http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=8lXla2IHqYE

Por isso, o povo que foi as ruas, não está lutando apenas contra os R$ 0,20 centavos. Muito provavelmente, boa parte das pessoas que se arriscaram em participar de um manifesto, correndo o risco de serem agredidos pela Polícia, podem pagar os R$ 0,20 centavos. Acontece, que o povo começou a acordar e perceber que não pode mais se calar diante dos absurdos que tem que engolir guela abaixo. Prova disso, são as diversas manifestações que têm acontecido nos últimos tempos: manifestação contra Feliciano, a marcha da maconha, a marcha das vadias – entre outros. Mesmo que, para alguns, elas ainda não tenham surtido efeitos visíveis, elas mostram que o povo brasileiro não é bobo, e cansou de se calar. E, tenho certeza, que as manifestações não vão parar por aí.
Esse momento de crise, serve para mostrar quem está do lado de quem – diversos veículos da grande mídia estão falando sobre o evento e se referindo as pessoas como “vândalos” e “baderneiros”. A TV e os jornais somente mostram cenas nas quais os cidadão estão alterados, mas escondem as cenas de violência vindo dos despreparados da PM. A imagem abaixo, mostra um exemplo disso – o jornal Folha de S.Paulo, colocou na sua chamada o seguinte título:
“Contra tarifa, manifestantes vandalizam o centro de SP.” Um pouco abaixo, ainda na mesma página, aparece: “Polícia da Turquia reprime ativistas em praça em Istambul.” Ou seja – para eles, os brasileiros que lutam pelos seus direitos são vândalos; os turcos, ativistas. Isso porque o slogan do jornal é “Um jornal a serviço do povo.” Aham. Imagina se estivesse contra ele.
(imagem via)
A mídia pode – e vai manipular – as informações. Mas cenas gravadas e fotografadas pelas pessoas e espalhadas na internet, mostram toda a verdade que os grandes veículos querem esconder. Como no vídeo abaixo, no qual um Policial Militar quebra o vidro da própria viatura, para atribuir a culpa aos manifestantes e justificar a reação violenta:
Ou ainda, essa foto na qual um PM joga spray de pimenta diretamente no rosto de um cinegrafista que está filmando a manifestação. Essa imagem mostra o quão vândalo o cinegrafista estava sendo para merecer uma agressão dessas.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=kxPNQDFcR0U
(imagem por Estadão Conteúdo)
E para quem acha que a Polícia deve sim revidar com violência diante dos “vândalos”, que tal essa foto abaixo, que mostra a repórter da TV Folha, Giuliana Vallone, atingida no olho por uma bala de borracha? Segundo informações, ela estava em um estacionamento na Rua Augusta, já indo embora, quando segundo uma testemunha, um policial que estava no banco de trás de uma viatura atirou contra ela dentro do carro. Quem vai pagar essa conta, Brasil? Será que o prefeito e o governador irão sair de seus compromissos em Paris para dar assistência a essa moça que pode perder a visão, e a mais um monte de gente que foi ferido por protestar pelos seus direitos?
A polícia brasileira definitivamente está despreparada para lidar com situações como essas. Por onde passaram, os policiais que estavam presentes, teoricamente fazendo a “segurança da população” deixaram um rastro de desrespeito aos direitos humanos – estudantes feridos, pessoas detidas por carregar vinagre (usado no combate à intoxicação das bombas) e também kits de primeiros socorros, pessoas que apenas passavam pelo local sendo atingidas, dentre outros.
Aos que usam o já batido argumento de que com violência não se leva nada, concordo, não estamos de forma alguma defendendo o vandalismo, mas os dois lados da moeda precisam ser vistos. Há sempre o meio pacífico de fazer uma greve, uma petição online, um abaixo-assinado, mas isso surtiria pouco efeito. O Brasil, por ser um país mais novo, ainda está aprendendo a melhor forma de protestar, assim como os povos da Europa aprenderam. Claro que algumas pessoas se exaltaram de mais e acabaram perdendo a razão, mas não a maioria delas como os veículos de imprensa querem que você acredite. Na manifestação de quinta-feira, segundo fontes, o povo pedia paz e não violência.
Ou seja: como paulistanos e brasileiros, hoje viemos aqui mostrar o nosso apoio total ao povo, e fazer um alerta para quem ainda não percebeu quem está do lado de quem. Não podemos confiar jamais em veículos de informação que se mostram claramente favoráveis ao governo, enquanto o povo luta para ganhar voz. Um jornal que, em vez de mostrar os dois lados da situação, e expor as injustiças, se refere aos cidadãos como vândalos, não serve nem para embrulhar peixe. Um canal de TV que só mostra um lado da história – aquele que vai contra a população – não merece o seu respeito e, muito menos, a sua audiência. Por isso, precisamos proteger com todas as forças o único veículo de informação que dá voz ao povo – a internet. Quer buscar uma informação sem manipulação? Desligue a TV, feche boa parte das revistas e jornais, e vá para a internet. Escute a voz de quem realmente só está lutando por um Brasil melhor, um Brasil onde as pessoas possam ter voz, e não tenham de ser eternamente subjugadas aos interesses de quem só pensa em dinheiro e está pouco se lixando para o povo. Estamos presenciando e vivendo um momento épico no qual os smartphones e as redes sociais têm ajudado e muito a população a ganhar voz. Há 10 anos, isso não teria sido possível, e teríamos que nos contentar com as informações duvidosíssimas divulgadas por veículos como a Globo e tantos outros.
Por isso, se você pode pagar todos os impostos abusivos cobrados pelo governo, bom para você. Mas não se manifeste contra o direito do povo. Não enfraqueça a voz da população. Não diga besteiras por estar pensando somente no teu lindo umbigo. Afinal, um dia o jogo pode virar, e você pode estar precisando da voz da população para lutar por algum direito seu ferido. Lembre-se: Não é pelos R$ 0,20 centavos. É pelo direito de um povo que cansou de ser violentado e que quer honrar o lema impresso na bandeira de São Paulo: Non dvcor, dvco, ou “Não sou conduzido, conduzo”.

Fonte: Hypeness

Via Rápida Emprego oferece mais de 100 mil vagas para cursos

Inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet

O programa Via Rápida Emprego está recebendo inscrições em mais de 150 opções de cursos gratuitos de capacitação, presenciais e à distância. São mais de 100 mil vagas oferecidas e o cadastro deve ser feito exclusivamente pelo site do programa.

Deste total, 60 mil vagas são para modalidades presenciais nas áreas de comércio, indústria, construção civil, agricultura e prestação de serviços. As outras 40 mil são para cursos à distância, de inglês e espanhol.

Os selecionados, que precisam ter idade mínima de 16 anos, receberão material didático, subsídio de transporte no valor de R$ 150,00 e auxilio alimentação de R$ 100,00. Desempregados, sem seguro desemprego ou benefício previdenciário, também têm direito à bolsa-auxílio mensal de R$ 210,00 durante a capacitação.

Mais informações no site do Via Rápida Emprego.

Fonte:Do Portal do Governo do Estado

quarta-feira, 12 de junho de 2013

O gadget pra você nunca mais correr o risco de ter sua bagagem extraviada

Os viajantes frequentes conhecem o drama de chegar em um novo lugar, pronto a visitar, e perder toda a bagagem. Para evitar cenários desses, está chegando o Trakdot Luggage, um aparelho que cabe na palma da mão e que envia SMS ou e-mail avisando do paradeiro de seus pertences.
O funcionamento do Trakdot não podia ser mais simples: você o coloca na mala e ele, quando chegar num destino, dá o alerta para uma ou várias pessoas – os criadores dizem que funciona com qualquer celular. O rastreio pode ser feito também no site ou através de app para iOS e Android.
O aparelho foi criado pela GlobaTrac e está no mercado pelo preço de 49,99 dólares.

Fonte: Hypeness

SP tem mais de 23 mil vagas em cursos gratuitos de idiomas

Podem se matricular nos 223 Centros de Estudos de Línguas (CEL) estudantes da rede estadual de Ensino Fundamental e Ensino Médio
Os estudantes da Rede Estadual interessados em estudar outro idioma podem se inscrever até o dia 28 de junho nos 223 CELs (Centros de Estudos de Línguas) de todo o Estado gratuitamente. São 23.247 novas vagas para espanhol, italiano, francês, japonês, alemão e mandarim.
Podem se inscrever estudantes matriculados na rede estadual de Ensino Fundamental e Ensino Médio. Os cursos começam no próximo semestre e serão ministrados por professores diplomados. Ao todo, são seis módulos semestrais e, após o término, o aluno recebe o certificado de conclusão.

Para o cadastro, interessados, ou responsáveis no caso de alunos menores de 18 anos, devem entrar em contato com as unidades que oferecem os cursos, portando cópia do RG.Veja o CEL mais perto de seu endereço.

Confira o número de vagas por idioma:
Espanhol - 18.693
Italiano - 1.125
Francês - 1.516
Japonês - 1.138
Alemão - 675
Mandarim - 100

Do Portal do Governo do Estado

JOGOS DE RACIOCÍNIO AJUDAM NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA

Pesquisa de Talita Lima Queiroga, psicóloga do Instituto de Psicologia da USP, analisou os aspectos lógico-matemáticos dos jogos "Kenken e Feche a Caixa"


O raciocínio lógico-matemático em alunos de ensino fundamental foi tema de pesquisa no IP (Instituto de Psicologia) da USP. Por meio da realização de oficinas de dois tipos de jogos (Kenken e Feche a Caixa) a psicóloga Talita Lima Queiroga analisou os aspectos lógico-matemáticos dos jogos e observou como esse tipo de raciocínio se manifestava nos alunos, enquanto resolviam os desafios propostos. Além de verificar o desempenho dos alunos, o estudo pretendeu analisar como lidavam com erros e acertos e argumentavam suas respostas.
A pesquisa é descrita na dissertação de mestrado "Jogos de raciocínio lógico-matemático em alunos da Escola Fundamental 2", com orientação do professor Lino de Macedo. A psicóloga desenvolveu sua pesquisa com base na teoria do desenvolvimento de Jean Piaget. Segundo este teórico, a criança constrói o conhecimento a partir da interação com os objetos.
O Kenken é um jogo de origem japonesa, criado em 2004, similar ao Sudoku. O jogo deve ser completado com números sem que eles repitam em uma linha ou coluna. O tracejado mais escuro forma um bloco, onde a primeira casa contém um número e um sinal, representando, respectivamente, o resultado que deve ser obtido e a operação matemática que deve ser utilizada para chegar a tal resultado.
Já o Feche a Caixa é um jogo conhecido há séculos. Além de incluir raciocínio lógico e operações aritméticas, envolve também a sorte, pois as jogadas dependem de resultados de dados. O jogo tradicional é composto por nove caixas (ou casas) com números visíveis. O jogador lança dois dados e os resultados obtidos devem ser somados. Após, baixam-se a(s) caixa(s) correspondem ao valor da soma dos dados. As caixas baixadas permanecem assim até o fim da partida. Quando o total de pontos não permitir fechar mais nenhuma casa, o jogador somará os valores que continuam expostos e, quem atingir primeiro os 45 pontos, perde.
O jogo principal a ser estudado foi o Kenken, escolhido por possuir aspectos aritmético, geométrico, algébrico e exercitar o raciocínio lógico-matemático. Talita disse utilizar o Feche a Caixa para que os alunos tivesse acesso a outro jogo, e então as oficinas se tornariam mais divertidas, e para que ela pudesse comparar o desempenho deles nos dois jogos.
Consequências e possibilidades
Os participantes da pesquisa foram oito alunos de ensino fundamental 2 da rede pública estadual. "A participação desses alunos foi pelo fato de o jogo utilizar as quatro operações matemáticas que, de acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, devem ser aprendidas ainda na Escola Fundamental 1", explica a psicóloga. Além de garantir que todos os alunos teriam aprendido as quatro operações matemáticas, a escolha de estudantes nessa faixa de idade se deu porque, segundo Piaget, é nesse período em que a pessoa se torna capaz de inferir sobre consequências e possibilidades.
A matemática é a disciplina que possui maior dificuldade de aprendizagem entre os alunos brasileiros, mas é extremamente necessária à vida, não só escolar. Para solucionar esse problema, a alternativa é oferecer novas maneiras, mais divertidas, de aprender a matéria. "O Kenken e o Feche a Caixa são excelentes ferramentas para a escola, pois podem fazer com que os alunos estruturem seus conceitos e noções, construam relações quantitativas ou lógicas, adquiram fluência no cálculo e desenvolvam uma atitude mais positiva em relação às aulas de matemática", afirma Talita.
Os jogos foram realizados em oficinas, que aconteciam em período diferente do das aulas. Essas oficinas permitiam a repetição dos jogos o que, segundo o pesquisador Lino Macedo, é um fator fundamental para a aprendizagem. "Por meio da repetição as crianças podem verificar que um mesmo objeto (no caso, o jogo) admite muitas posições ou deslocamentos e que uma mesma ação pode gerar diferentes consequências e efeitos", complementa Talita. Também em busca desta regularidade, foram propostos jogos como tarefa de casa.
Além da resolução dos jogos, foi proposta a resolução de enigmas de ambos. Os enigmas eram perguntas que exigiam uma reflexão, por parte do jogador, acerca do jogo, cujas respostas também deveriam ser justificadas. Em sua pesquisa, Talita procurou analisar as jogadas e estratégias realizadas pelos alunos, além da frequência e tipos de erros cometidos. Foi verificado que esses se utilizavam do cálculo mental como estratégia principal, mas em contas de multiplicação ou subtração alguns deles preferiram armar contas no papel.
Acertos e erros
No Kenken, os alunos erraram pouco, apenas em 11,6% dos jogos entregues à pesquisadora havia algum tipo de erro, taxa repetida nos jogos dados como tarefa de casa. Mas só 15,5% deles foram resolvidos sem a necessidade de jogadas excedentes. Ao jogar o Feche a Caixa, os jogadores priorizavam fechar a caixa com o maior número. A porcentagem de erro neste jogo foi maior, 22%.
"É interessante observar que, embora o Feche a Caixa exigisse operações matemáticas consideradas pelos alunos como mais simples, os erros de cálculo foram mais frequentes nesse jogo do que no Kenken", destaca Talita. Uma explicação possível para esse fenômeno é fato deles já possuírem o resultado no Kenken, e estarem em busca somente das parcelas.
Foram realizados torneios de Feche a Caixa. Neles a psicóloga percebeu que a competição foi um fator bastante motivacional, mas também notou que os jogadores ficavam mais ansiosos e suscetíveis a errar. "Às vezes a competição pode gerar uma tensão e fazer com que os jogadores cometam mais erros, mas o errar faz parte da vida e, muitas vezes, pode resultar em uma aprendizagem", comenta.
Os alunos se mostraram interessados nos jogos e afirmaram que passaram a gostar mais de matemática depois das oficinas. Assim, a pesquisadora concluiu que aconteceu com os alunos o chamado ciclo virtuoso que, segundo Macedo, consiste em jogar para aprender matemática, aprender matemática para jogar melhor, jogar melhor para competir, competir para se aperfeiçoar, aperfeiçoar para se tornar mais desenvolvido no jogo do conhecimento, no jogo da escola.
Fonte: Agência USP
Jogue os jogos sugeridos clicando nos links abaixo:


Cursos Gratuitos de Extensão Cultural


INSCRIÇÕES ABERTAS:
24
Introdução à Audiodescrição para Teatro

Orientadora: Lívia Maria Villela de Melo Motta

De 05 de agosto a 02 de outubro – Segundas e Quartas-feiras | Das 10h às 13h.
Local: SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210 - Consolação

SAIBA MAIS
Faça sua Inscrição
23
Interpretação de Espetáculos em LIBRAS

Orientadores: Sueli Ramalho e Rimar Segala

De 05 de agosto a 02 de outubro – Às segundas e quartas-feiras  | Das 19h às 22h
Local: SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210 - Consolação

SAIBA MAIS
Faça sua Inscrição
22
Dança sem Fronteiras

Orientadora: Fernanda Amaral

De 06 de agosto a 03 de outubro – Às terças e quintas-feiras | Das 14h às 17h
Local: SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210 - Consolação

SAIBA MAIS
Faça sua Inscrição
21
Introdução à Interpretação

Orientador: Moisés Miastkwosky

De 01 a 26 de julho – De segunda a sexta-feira | Das 14h às 17h
Local: SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210 - Consolação

SAIBA MAIS
Faça sua Inscrição
20
As Questões Criativas na Educação

Orientadores: Ismar Rachmann e Viviane Dias

De 01 a 26 de Julho - De segunda a sexta | Das 14h às 17h
Local: SP Escola de Teatro – Praça Roosevelt, 210 - Consolação

SAIBA MAIS
Faça sua Inscrição
Fonte:spescoladeteatro.org.br