segunda-feira, 11 de março de 2013

Rede social educativa permite que alunos se ajudem no trabalho escolar

Reportagem de Marjorie Ribeiro 


A plataforma de aprendizagem colaborativa, Brainly, chega ao Brasil.
O que fazer quando surgem dúvidas durante a lição de casa ou trabalho da escola? Três estudantes tiveram uma ideia para solucionar esse problema: criaram um site em que alunos do Ensino Fundamental e Médio pudessem compartilhar questões escolares e pedir ajuda para outras pessoas. Foi assim que surgiu em setembro de 2009, na Polônia, o Brainly, um portal de social learning (aprendizado via redes sociais).
Depois de alcançar 19 países e contar com mais de 9 milhões de usuários por mês, a rede social educativa ganha versão em português e chega ao Brasil em novembro de 2012, com acesso gratuito. A plataforma nacional já possui quase 10 mil usuários e, de acordo com a assessoria de imprensa, e esse número vem aumentando com a voltas às aulas.
A ideia dos criadores era usar a internet não só para o entretenimento, mas para promover a educação, cooperação e desenvolvimento social e intelectual. Nesse sentido, é criado um ambiente de aprendizagem mútua e colaboração, que facilita os estudos de crianças e adolescentes.
Como funciona?
As perguntas são divididas por temas – como Matemática, Física, Português, Biologia, História, Espanhol, Inglês, Filosofia, Psicologia, Informática e Educação Moral. Em cada seção, é possível visualizar quantas soluções de problemas foram postadas  e quantas pessoas estão online que poderiam te ajudar em cada assunto.
Cada usuário depois do cadastro recebe um determinado número de pontos que precisa gastar cada vez que faz uma pergunta. Para ganhar pontos, os estudantes devem ajudar outras pessoas, não necessariamente na mesma matéria. A melhor resposta é escolhida pela pessoa que fez a pergunta, mas os outros usuários também podem avaliá-la através de uma votação.
De acordo com uma das responsáveis pela Brainly do Brasil, Anna Skwareka possibilidade de seleção da resposta é uma maneira de incentivar a qualidade da explicação. Os alunos que derem a solução mais clara e completa que, geralmente é considerada a melhor resposta, recebem pontos adicionais e podem entrar para o ranking. O botão “Obrigado” possibilita agradecimento pessoal e pode ser o início de uma nova amizade que pode se desenvolver através de mensagens privadas ou bate-papo.
Para evitar erros substanciais, comentários fora do tema, preconceituosos ou que desrespeitem os outros usuários, a moderação é feita por especialistas na área. Professores, pais ou alunos que se destacam na rede podem também se candidatar a integrar à equipe e colaborar com o serviço, mas sempre guiado e avaliado por um moderador mais experiente.
Fonte: Aprendiz Uol
Postar um comentário